Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Do sentido de estado ao "inconseguimento" 

 

Eanes, Soares, Sampaio e Balsemão: o passado já não (n)os divide

Jornal PÚBLICO: 14 de Abril de 2014

Quando falaram do presente, os ex-presidentes da República receberam palmas da assistência, que encheu o Auditório da Fundação Gulbenkian.

Desta vez, Mário Soares não estava disposto a falar de actualidade. "Já basta o que basta", atirou, para uma plateia que esperava mais. A única vez em que se permitiu um comentário sobre o presente, foi muito aplaudido: "Quando os militares de Abril não vão ao Parlamento, eu também não vou", disse, lembrando a polémica sobre aos 40 anos do 25 de Abril na Assembleia da República que leva a que, pelo segundo ano consecutivo, a Associação 25 de Abril recuse o convite para estar presente na sessão parlamentar comemorativa...

Eanes aproveita o silêncio de Soares sobre o presente e faz o retrato mais crítico dos nossos dias: "É necessário sair desta crise sem agredir a unidade popular"; "Quando a juventude emigra por necessidade está a dizer que não acredita no presente"; "Haver portugueses com fome é uma coisa que nos ofende e que não devíamos permitir"; "Sem Estado Social o pluralismo, a tolerância, tudo isso está em perigo". 

Jorge Sampaio encerrou as intervenções depois disto... O mais novo dos ex-Presidentes mostrou-se empenhado em "preservar o Estado Social" e, sobretudo,  em "não reduzir tudo isto a um Estado mínimo". Defendeu que "não é com salários baixos, é com pessoas qualificadas" que se pode desenvolver o País. E fugu à ideia de "pacto" ou de "compromisso" partidário ("já estou queimado com a palavra") defendendo, antes, um "compromisso de baixo para cima", em torno de "ideias a 20 anos".

 

 

“Posso testemunhar a atenção que Durão Barroso sempre prestou aos problemas do país”, agradece Cavaco Silva 

Jornal PÚBLICO: 11 de Abril de 2014
A disciplina orçamental é um meio, não um fim, recordou o Presidente da República, na abertura da conferência promovida em Lisboa pela Comissão Europeia. A oposição esteve ausente.

“Posso testemunhar, como poucos, a atenção que o doutor Durão Barroso sempre prestou aos problemas do país e a valiosa contribuição que deu para encontrar soluções, minorar custos, facilitar apoios e abrir oportunidades de desenvolvimento”, disse na tarde desta sexta-feira o Presidente na República na abertura da conferência Portugal: Rumo ao Crescimento e Emprego. Fundos e Programas Europeus: solidariedade ao serviço da economia portuguesa, que está a decorrer na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Daí que, quase a terminar o seu discurso de quatro páginas, Aníbal Cavaco Silva tenha sido ainda mais claro: “Portugal e os Portugueses, tal como os outros Estados-Membros, muito lhe devem.” ...
Durão Barroso, nalguns casos à margem do texto escrito do seu discurso, referiu a sua contribuição como líder da Comissão Europeia. “Por proposta e insistência – não foi fácil – da Comissão Europeia foi possível aumentar a taxa de co-financiamento comunitária para os países em ajustamento”, disse. E, ainda mais assertivo: “Por minha proposta foram atribuídos a Portugal mais mil milhões de euros”, disse, referindo-se à dotação de um programa de desenvolvimento agrícola.


"O problema é deles", diz Assunção Esteves sobre exigência da Associação 25 de Abril 

Jornal PÚBLICO: 10 de Abril de 2014
Presidente da Assembleia da República trava reivindicações dos militares de usarem da palavra na cerimónia como algo "que não existe". Vasco Lourenço responde que, sendo assim, não estarão presentes.

A presidente da Assembleia da República afirmou esta quinta-feira que convidou a Associação 25 de Abril para estar presente na sessão solene comemorativa da revolução, e que se os militares impõem a condição de falar "o problema é deles".

"Todos os anos há convite à associação 25 de Abril. Este ano houve novo convite, o resto não existe, não comento o que não existe", começou por dizer Assunção Esteves aos jornalistas.

Confrontada com a condição de usar da palavra imposta pelo presidente da Associação 25 de Abril, Vasco Lourenço, para que os militares de Abril estejam presentes na sessão solene, Assunção Esteves respondeu: "O problema é deles". "Houve um convite para virem ao parlamento, só", frisou.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:27



Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Abril 2014

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930

Declaração de Princípios

José Cardoso Pires escreveu, em adenda de Outubro de 1979 ao seu «Dinossauro Excelentíssimo»: "Mas há desmemória e mentira a larvar por entre nós e forças interessadas em desdizer a terrível experiência do passado, transformando-a numa calúnia ou em algo já obscuro e improvável. É por isso e só por isso que retomei o Dinossauro Excelentíssimo e o registo como uma descrição incómoda de qualquer coisa que oxalá se nos vá tornando cada vez mais fabular e delirante." Desafortunadamente, a premunição e os receios de José Cardoso Pires confirmam-se a cada dia que passa. Tendo como génese os valores do socialismo democrático e da social democracia europeia, este Blog tem como objectivo, sem pretensão de ser exaustivo, alertar, com o desejável rigor ético, para teorias e práticas que visem conduzir ao indesejável retrocesso civilizacional da sociedade portuguesa.

Os Meus Livros

2012-05-09 A Edição em Portugal (1970-2010) A Edição em Portugal (1970-2010): Percursos e Perspectivas (APEL - Lisboa, 2012). À Janela dos Livros capa À Janela do Livros: Memória de 30 Anos de Círculo de Leitores (Círculo de Leitores/Temas e Debates - Lisboa, 2011) Risk Management capa do livro Risk Management: Gestão, Relato e Auditoria dos Riscos do Negócio (Áreas Editora - Lisboa, 2004)

Não ao Acordo Ortográfico

APRe! - logotipo